True

O papel do secretariado paroquial e os desafios da profissão
22 junho, 2021 por
O papel do secretariado paroquial e os desafios da profissão
Micheli Ferreira
Nenhum Comentário Ainda

O objetivo desse artigo é auxiliar você, secretária ou secretário paroquial, que está vendo os trabalhos e as exigências aumentarem a cada mês. Seja em uma paróquia, diaconia, área pastoral ou missionária e comunidades religiosas, os processos administrativos devem ocorrer organizados em sintonia com o atendimento ao público, apoio ao pároco e às pastorais, compromissos tributários e prestação de conta com a diocese ou casa mãe (superior, província, congregação).

Se você está iniciando no secretariado paroquial, não se assuste! Seu trabalho é muito importante e extremamente necessário para a missão da Igreja. Tenha essa consciência: não importa onde está localizada ou seu status canônico, você faz parte de uma instituição séria inserida no mundo, formada por pessoas, com mandato divino. Todo seu trabalho converge para o serviço e a evangelização.

Pretendo iniciar uma sequência de artigos que tratarão sobre o trabalho em uma secretaria paroquial com os processos administrativos, funções operacionais com informática e internet, organização do arquivo paroquial e, sobretudo, as atitudes de recepção, acolhida, espiritualidade e o zelo com o local de trabalho.

Veja se você já vivenciou uma situação como a que eu presenciei:

Certo dia, o padre chamou a secretária e lhe pediu que providenciasse o pagamento das flores, hóstias e material de limpeza da igreja. Quando ela ia saindo, o sacerdote chamou-a novamente e perguntou se já havia feito o calendário das celebrações, batizados e casamento do mês. Ela respondeu que ainda não, mas que entregaria ainda naquela manhã. Pediu licença e antes de chegar à porta, novamente o padre lhe dirige outras perguntas: você depositou o dinheiro do dízimo? Repassou para a cúria a contribuição mensal? Ah, e a reunião com os ministros da eucaristia? Já ligou para eles avisando?

A secretária balançou a cabeça num gesto de ‘sim’ e depois negativamente e respondeu: Já liguei, mas não consegui falar com todos.

E apressando o passo, saiu.

Quando voltou à sua mesa, encontrou uma coordenadora de uma comunidade. Era uma senhora idosa que estava com uma criança. A coordenadora sorriu saudando a secretária com um bom dia. Começou a fazer perguntas sobre o festejo da padroeira, reuniões e sobre a adoração ao Santíssimo Sacramento. Nenhuma teve respostas consistentes, somente: ‘tá indo’; ‘estamos nos reunindo’; ‘nem sei’.

A senhora fez uma última pergunta: “O padre está?” A secretária com a cabeça praticamente dentro de um armário disse: “Está”. A idosa deu outro bom dia sorrindo, pegou a mão da neta e saiu. Depois fiquei sabendo que a coordenadora queria apresentar ao padre sua netinha e pedir a bênção.

Posso afirmar que, se você não passou ainda por isso, irá passar qualquer dia.

Não estou aqui para condenar, criticar e muito menos passar um sermão. Quero chamar atenção para uma reflexão de como está o trabalho na secretaria onde você colabora.

Muitas vezes somos envolvidos em circunstâncias que podem nos tirar a serenidade e a atenção ao outro. Nesses momentos, há necessidade de se perceber a hora de parar, respirar e organizar as ações. Um momento diante do sacrário é o ideal.

Secretariado em Ação

O secretariado paroquial é uma oportunidade de crescer pessoal, profissional e cristãmente. Mariana Antônia Carvalho, hoje Secretária Episcopal, disse que muito aprendeu como secretária da área pastoral são Pedro na cidade de Tianguá/CE. “Tive contato com a parte contábil e sacramental, além de aprender muito sobre administração de uma instituição que considero sagrada”.

Josiane Sousa, atual Secretária Paroquial da mesma área pastoral, afirma que “é um ofício de muita responsabilidade. Gosto muito, pois estou tendo a oportunidade para desenvolver-me profissionalmente. Estou também crescendo no conhecimento dos sacramentos, amando cada vez mais a Igreja. O convívio com o padre, como sacerdote e pessoa, é de uma riqueza inquestionável”.

Para Pe. Aurélio Pinto, Administrador Paroquial, para ser secretária paroquial é necessário “prezar pela hospitalidade, acolhimento e caridade. Buscar formação na área administrativa e de informática”.

Além da experiência pessoal, cresce-se nas relações humanas, no amor ao próximo. Incontáveis vezes você tem que escutar o desabafo de alguém que chega para marcar missa, pessoas atrás de orientações e confissão, solicitando ajuda para comprar comida ou voltar para casa e tantas outras situações.

Não esqueça um ponto também muito importante que é reivindicar melhores condições para o trabalho, isso inclui uma boa cadeira, computador e impressora modernos, ambiente arejado e bem iluminado, espaço para arquivamentos, um justo salário e, sobretudo, formações tanto na área administrativa como espiritual.

Célio Santiago é Diácono Permanente da Diocese de Tianguá/CE, Mestre em Informática Educativa e Especialista em Sistemas para Internet, ensino de Filosofia e Sociologia.

 

O papel do secretariado paroquial e os desafios da profissão
Micheli Ferreira
22 junho, 2021
Compartilhar
Arquivo
Entrar deixar um comentário

Whatsapp Paróquias

Olá, bem-vindo(a) a Revista Paróquias! Escolha um dos nossos atendentes. Mensagens fora do horário marcado serão respondidas quando retornar.