True

Como lidar com a raiva de maneira cristã?
Desde o início dos tempos a raiva é utilizada para justificar o pecado
24 agosto, 2021 por
Como lidar com a raiva de maneira cristã?
Micheli Ferreira
Nenhum Comentário Ainda

A convivência gera conflito. Nós conhecemos o nosso interior e sentimos nossas emoções, mas é muito comum negligenciarmos essas particularidades no outro. Então, quando presenciamos uma atitude diferente da nossa, que nos decepciona ou magoa, que ocorre de forma diferente daquela que esperávamos, surgem sentimentos de raiva e tristeza. Talvez o título já o tenha adiantado que é quase impossível evitar o sentimento de raiva, mas há uma maneira cristã de lidar com ela: não deixar que raiva se torne motivo de pecado. Em outras palavras, mesmo que o sentimento de raiva surja, o cristão não deve pecar sob essa falsa justificativa.

Desde o início dos tempos a raiva é utilizada para justificar o pecado. Antes de matar o irmão, Caim “ficou muito irritado” (Gn 4, 5). Os irmãos apresentaram suas ofertas à Deus, que olha com agrado para Abel, mas não para Caim. O grave pecado tem início na inveja, na incapacidade de aceitar a preferência pela oferenda do irmão. Deus, que amava Caim tanto quanto Abel, orienta pela superação da tentação que surge com a raiva: “Por que estás irritado e com o rosto abatido? Se fizeres o bem, não andarás de cabeça erguida? Mas se não fizeres o bem, o pecado está à espreita diante de tua porta; ele se esforça para conquistar-te, mas tu deves dominá-lo” (Gn 4, 6-7). O conselho é valioso. Não é preciso negar a raiva, mas acolhê-la com serenidade. Olhar para si e perceber a tentação. Sempre que for tomado pela raiva, repita para si a pergunta que Deus fez a Caim: Se agi bem, por que estou irritado?


Já que relembramos o Gênesis, relembremos também que fomos criados a imagem e semelhança de Deus. Façamos, então, como fez o próprio Cristo ao lidar com a raiva e a tristeza. O terceiro capítulo do Evangelho de Marcos se inicia com mais uma controvérsia dos escribas e dos fariseus, como outras que foram narradas no capítulo anterior. Jesus entra na sinagoga e encontra um homem com a mão atrofiada. Ali estavam os homens de coração endurecido, que aguardavam uma ação de Jesus no sábado, pelo que poderiam acusá-lo. Ali acontece um milagre, a cura pelas mãos do Messias. Mas esse sinal é imperceptível para aqueles homens, cuja hipocrisia lhes cegava, pois só tinham olhos para a lei do sábado, o que dá razão à Jesus quando lhes dirigiu “um olhar encolerizado e entristecido pela dureza de seus corações” (Mc 3, 5). O homem doente foi curado, o milagre se realizou. Sejamos assim, ainda que tristes e com raiva, façamos o que certo, o que deve ser feito.

O Papa Bento XVI falou sobre a raiva e o desejo de vingança aos irmãos e irmãs católicos do oriente médio que vivenciam situação cruel e violenta, circunstância que pode os direcionar a esses sentimentos, por isso o Papa ensinou: “Estamos conscientes de que estes não são sentimentos cristãos; ceder aos mesmos torna as pessoas interiormente duras e rancorosas, muito distantes daquela ‘mansidão e humildade’ de que Jesus Cristo se nos propôs como modelo (cf. Mt 11, 29)”.

São Josemaría Escrivá nos orienta que a ação pautada na raiva não dá frutos, ofende à Deus e ao irmão para, por fim, deixar-nos como miseráveis. O santo nos aconselha a ter serenidade: “Por que te zangas, se zangando-te ofendes a Deus, incomodas os outros, passas tu mesmo um mau bocado... e, por fim, tens de acalmar-te?”. Estejamos atentos ao sentimento de raiva para que não nos conduza ao pecado, também para que não seja para nós falsa razão a justificar a ofensa intencional à Deus e o irmão. Sejamos conscientes para sermos testemunhas do Evangelho com nossas vidas. Que assim seja!

REFERÊNCIAS

BÍBLIA DE APARECIDA. Editora Santuário. Edição online.

ESCRIVÁ DE BALAGUER, Josemaría. Caminho – 9ª ed. – São Paulo: Quadrante. 1999.

BENTO XVI. Mensagem do aos irmãos no episcopado e no sacerdócio, aos irmãos e irmãs católicos do Médio Oriente. Vaticano, 21 dez. 2006.

Por 

Luís Gustavo Conde - é catequista atuante na evangelização de jovens e adultos; palestrante focado na doutrina cristã; advogado, tecnólogo e professor. 

Como lidar com a raiva de maneira cristã?
Micheli Ferreira
24 agosto, 2021
Compartilhar
Arquivo
Entrar deixar um comentário

Whatsapp Paróquias

Olá, bem-vindo(a) a Revista Paróquias! Escolha um dos nossos atendentes. Mensagens fora do horário marcado serão respondidas quando retornar.