True

Gerencie sua instituição contratando um profissional de contabilidade capacitado
Um profissional de contabilidade competente deve ter um amplo conhecimento, técnica administrativa, ética e saber se adaptar as mudanças
9 abril, 2021 por
Gerencie sua instituição contratando um profissional de contabilidade capacitado
Micheli Ferreira
Nenhum Comentário Ainda

Além do profissional de contabilidade executar os lançamentos contábeis, ele possui a necessidade de ser o consultor, assessor que acompanha a legislação que hoje está em mudanças constantes, como também orientar o empresário e administrador para que a empresa caminhe bem, seja ela lucrativa ou não.

Hoje, uma das grandes habilidades, é mostrar a responsabilidade que este profissional deve ter. Ele é o grande avaliador para a empresa, inclusive será o diferencial para a empregabilidade atualmente. Ele passa também a ser o gestor de informações, devendo ter amplo conhecimento, como as áreas de contabilidade, legislação fiscal, comercial e societária, financeira de forma clara e sintética, apresentar uma ótima redação, domínio de informática (planilhas, textos, internet e conhecimento evidente em estatística).

Além destas habilidades, é necessário ter conhecimento para que possa utilizar em recursos humanos, além de toda a técnica de administração, fazendo com que este profissional seja um autodidata por excelência. A ética é imprescindível, devendo ainda ser um inovador e criador de novas técnicas e desenvolver para as adaptações que as mudanças e atualizações exigidas na administração das instituições.

Hoje o profissional da contabilidade (o antigo contador), deve atuar nas áreas como:

Perícia Contábil – na apuração de haveres, lucros cessantes, impugnações fiscais e avaliação de Patrimônio Líquido;

Auditoria – exame e emissão de pareceres sobre demonstrações contábeis, financeiras  e controles internos de gestão administrativa;

Fiscal – ser um fiscal de contribuintes ou contras de entres públicos;

Gestão de Empresas - administração de finanças, custos e fluxos de cais e empreendimento de qualquer porte;

Gestão Pública – atuar em áreas de planejamento, administração, finanças e contabilidade pública;

Consultoria – aos três setores da sociedade, seja eles  de (iniciativa privada, governamental e ONG’s).

Ensino – atuar em dezenas de disciplinas como Rural, Pública, Custos ou Orçamento Público.

Com entrada do CCB (Código Civil Brasileiro), o profissional de contabilidade foi fortemente responsabilizado conforme parágrafo único do artigo 1177, diploma legal:

No exercício de suas funções, os prepostos são pessoalmente responsáveis os preponentes, pelos atos culposos; e, perante terceiros, solidariamente com o preponente, pelos atos dolosos”.

Esta responsabilidade significa dizer que este profissional juntamente com o proprietário, o administrador de empresa, será o responsável por qualquer que seja fugindo às regras da legislação.  Em casos onde o administrador de empresa (ou instituição religiosa) que pretende fazer com que o profissional venha a praticar atos que infrinjam a lei este, por sua vez, deverá alertar que qualquer ato praticado culposa ou dolosamente poderá acarretar e ele a decadência de sua imagem profissional.

Em virtudes das diversas alterações realizadas nas normas contábeis internacionais vem exigindo o máximo de ética para os profissionais contábeis, atos que em virtude de trabalhar com números e valores, ensejando assim que seja uma profissão com maiores facilidades para que ocorra desvio de conduta. Portanto, hoje a honestidade será fator relevante para que a boa impressão que se tem deste profissional ético, porém, será por meio desta virtude que se analise o caráter deste profissional.

Assim sendo, para ser ético é necessário que qualquer profissional tenha algum tipo de fé, ou seja, acredite em algum valor intangível, contudo, com alto significado, tais como: moral, bondade, caridade, sinceridade e principalmente a honestidade, pois a ética deve ser um dos grandes segredos para o sucesso profissional.

Para concretizar o CRC e o CFC (Conselho Regional de Contabilidade e o Conselho Federal de Contabilidade), já a NBC PG 100 – Aplicação Geral aos Profissionais da Contabilidade aborda os princípios éticos a serem seguidos como integridade, objetividade, competência e comportamento profissionais e devido zelo e sigilo, ou seja, o dever de agir de acordo com o interesse público. Além disso, estabelece a estrutura conceitual a ser aplicado pelo profissional para identificar ameaças ao cumprimento dos princípios éticos, avaliar a importância dessas ameaças e aplicar salvaguardas para eliminá-las ou reduzi-las a um nível aceitável (Gestor Contábil 9ª Edição-CRC).

Dorival Venciguera é Bacharel em Ciências Contábeis, Pós-Graduado em Controladoria e Gestão Empresarial.
Gerencie sua instituição contratando um profissional de contabilidade capacitado
Micheli Ferreira
9 abril, 2021
Compartilhar
Arquivo
Entrar deixar um comentário