True

Utilize a tecnologia para incentivar uma integração na captação de recursos de sua paróquia
17 junho, 2021 por
Utilize a tecnologia para incentivar uma integração na captação de recursos de sua paróquia
Micheli Ferreira
Nenhum Comentário Ainda

“Toma-se sempre o site como referência para a implantação de recursos para que sejam disponibilizados também no blog e redes sociais”

Todo dia tem novidade na internet. Parece não haver uma solução tecnológica, mas várias soluções para determinado problema ou situação. Aqui mesmo já apresentamos várias sugestões para auxiliar párocos, gestores administrativos e agentes paroquiais no uso dos recursos da internet.

Tenho encontrado paróquias em diferentes etapas de convivência com a tecnologia da web. Algumas bem adiantadas e outras muito atrasadas tecnologicamente. Um fator que sempre afirmo com base na vivência na área é que o engajamento da paróquia, diocese ou instituição eclesial com o uso da internet e a integração de seus recursos depende de decisão e incentivo do pároco ou do bispo. O gestor eclesial deve está atento a essa realidade que, empregada eficazmente, contribui na missão de santificar, ensinar e governar o Povo de Deus.

As principais ferramentas tecnológicas que utilizam a internet são bastante conhecidas: site, blog, redes sociais e aplicativos. Se bem utilizados, transformam-se em um poderoso auxílio na administração paroquial e diocesana na evangelização e administração, sendo uma das principais, a captação de recursos financeiros.

Tecnologia na paróquia

Seja qual for a condição tecnológica da paróquia, o início é formar uma equipe de trabalho. Identificar as pessoas que dominam, usam e até mesmo trabalham com informática. Essa busca de apoio é essencial. O pároco deve buscar uma orientação responsável, que já tenha alguma experiência e, se possível, envolvimento com pastorais e movimentos religiosos. Que prevaleça a compreensão de um trabalho evangelizador. Envolver jovens e formá-los para esse trabalho é uma boa iniciativa, pois eles nasceram imersos no uso da tecnologia e têm facilidade em utilizá-la.

Esse serviço pode muito bem ser realizado com e pela PASCOM (Pastoral da Comunicação). Onde ainda não tem, cria-se. Se paróquia já tem, sugiro que faça a união entre comunicação e informática, pois essa tecnologia é essencialmente comunicativa. Está na hora de a reconhecermos como uma Pastoral de Comunicação e Informática, que chamo de PCI.

Site, blog e redes sociais

Um bom projeto simples e barato para começar é criar um site utilizando ferramentas gratuitas na internet. Essa experiência, mesmo simples, causará impacto se a paróquia mantiver o site atualizado e respondendo às pessoas que entrarem em contato com pedido de informações e outras demandas.

O site deve ter um layout leve e navegação fácil para as principais informações, como por exemplo: notícias, avisos, calendário paroquial, liturgia do dia, horários de missa, confissão e atendimento paroquial, formulário de inscrição para dizimista, dados para doações, vídeos, áudios, mensagens e formação com o sacerdote, espaço de contato online, etc. Não esquecer de ter alguém para a revisão gramatical e de conteúdo, principalmente das notícias e avisos, para evitar transtornos e constrangimentos.

Depois de implantado e atualizado o site, a paróquia sentirá a necessidade de expandir o serviço. É aí que a ‘Pastoral de Comunicação e Informática’ dará o segundo passo: criará um blog que funcionará em sintonia com o site, isto é, interligado. Não será um canal a parte, mas outra forma de acesso virtual à paróquia. Esse blog também pode ser criado gratuitamente. Uma condição muito importante é fazer com que notícias, eventos e informações divulgadas no site sejam, automaticamente, inseridos no blog. Isso evitará um duplo trabalho. Nesse momento chega a hora de se buscar recursos mais poderosos que muitas vezes, as ferramentas gratuitas na internet não oferecem.

A construção

A construção de um site mais dinâmico e interativo é fundamental. Há várias ofertas de opções de sites que devem ser vistos com cautela. Busque o necessário, não supervalorize os recursos, eles devem ser eficazes. Tenham em vista que não se vai gastar e sim, investir. Essa condição dependerá do orçamento da paróquia. Novamente toco na tecla: envolva os fiéis, ouça a Pastoral de Comunicação e Informática, pesquise e visite outras paróquias que passaram por esse processo. Veja o preço de desenvolvimento do site e o que vai ser cobrado eventual e mensalmente. Trabalhe com empresas especializadas e com experiência no mercado religioso.

As redes sociais talvez já tenham entrado nas atividades do site e blog. Isso pode ter ocorrido naturalmente, mas é preciso ter atenção, pois esse fenômeno mundial vem dominando o uso da telefonia móvel presente na vida pessoal, social, financeira e até nas relações internacionais entre países. As inserções nas redes sociais devem partir do canal oficial da paróquia, devem conter e refletir sobre opinião da Igreja, evitando discussões desnecessárias, fofocas, fakes e outras formas não cristãs.

Integrar para captar recurso

Com o site, blog e redes sociais funcionando, chega o momento de aproveitar todos os seus potenciais na captação de recursos para ajudar a suprir as necessidades e gastos paroquiais.

Toma-se sempre o site como referência para a implantação de recursos para que sejam disponibilizados também no blog e redes sociais.

Oferecer informações detalhadas sobre como fazer, para quê e o que é feito com doações recebidas é um fator primordial. Isso é feito por meio de notícias específicas das campanhas, das necessidades urgentes da paróquia e pelos boletins informativos, no site e por e-mail, do que está sendo feito com as doações.

Outra atividade a ser feita constantemente é a divulgação em missas, eventos e em outros canais de comunicação de que a doação online pode ser feita à paróquia. Quando for possível demonstrar, em vídeo na própria web e também em telão nos encontros paroquiais, de como realizar a doação ou repasse do dízimo pelos canais da internet através de transferência ou depósito bancário, cartão de crédito ou débito.

Monetize suas redes

A monetização do site ou blog também poderá render algum crédito para a paróquia. Para ser eficiente é necessário que tenham bastante acessos, pois isso atrairá empresas que pagam por espaço publicitário ou repassam uma porcentagem das vendas realizadas através do link ou banner no site da paróquia. Outra forma é a venda de produtos digitais, por exemplo, vídeos e e-books (orações, novenas, formação, cursos).

Para aumentar a entrada por esses canais de captação é necessário incluir o endereço do site, blog em todos os seus materiais de marketing, enviar o site para os principais mecanismos de pesquisa para ter destaque nos buscadores web.

Infelizmente ainda há uma noção errada de que apenas colocando um formulário de doação ou um grande botão “DOAÇÃO AQUI” no site da paróquia os problemas de arrecadação de recursos irão acabar. Isso não acontecerá nunca. A captação de recursos para a paróquia sempre dependerá da combinação de evangelização, acolhida, testemunho comunitário e trabalho, muito trabalho com eventos e festejos religiosos. A internet poderá ser uma poderosa aliada na arrecadação financeira, mas não será a solução definitiva. Em um próximo artigo, vamos apresentar como usar aplicativos para captar recursos.

Diác. Célio Santiago é Mestre em Informática Educativa e Especialista em Sistemas para Internet, Diocese de Tianguá/CE.

 

Utilize a tecnologia para incentivar uma integração na captação de recursos de sua paróquia
Micheli Ferreira
17 junho, 2021
Compartilhar
Arquivo
Entrar deixar um comentário

Whatsapp Paróquias

Olá, bem-vindo(a) a Revista Paróquias! Escolha um dos nossos atendentes. Mensagens fora do horário marcado serão respondidas quando retornar.