True

Nossa família em missão: Igreja doméstica vivendo a compaixão e a esperança
A família é lugar de refúgio, de restauração e de celebração da vida!
4 outubro, 2021 por
Nossa família em missão: Igreja doméstica vivendo a compaixão e a esperança
Micheli Ferreira
Nenhum Comentário Ainda

A Campanha Missionária, que ocorre em todo mês de outubro, desde 1972, é organizada pelas Pontifícias Obras Missionárias (POM). No Brasil, o mês missionário ajuda a promover a campanha e desenvolver atividades de sensibilização para que Jesus Cristo seja conhecido e amado pelas pessoas.

Para o ano de 2021, a Campanha Missionária terá o foco na compaixão e na esperança. Compaixão diante da humanidade ferida e marcada pela pandemia da COVID-19 e esperança de novas atitudes de ternura e afeto nas relações interpessoais.

Na Mensagem para o Dia Mundial das Missões, o Papa Francisco destacou que a missão da Igreja nestes tempos de enfermidade global é reconhecer a “oportunidade de encontro, cuidado e promoção. Jesus Cristo vive verdadeiramente e também nos quer vivos, fraternos e capazes de acolher e partilhar esta esperança.[1]

Estar a serviço da compaixão e da esperança corresponde ao seguimento sincero de Jesus Cristo, que toma a iniciativa de aproximar-se da condição humana, curar nossas feridas e reerguer-nos para o serviço e o louvor a Deus pelo dom da vida.


A sogra de Pedro, sinal de compaixão e esperança

O evangelista Marcos nos ajuda a perceber a missão de tornar Jesus presente na vida das famílias. Depois de passar pelas comunidades e vilarejos, chamando seus discípulos, Jesus dá início ao seu ministério de ensinar nas sinagogas e de visitar as casas. Logo no primeiro capítulo, Jesus realiza duas curas: uma dentro da sinagoga e outra dentro da casa de Pedro.

Este é um modelo que toda pessoa batizada precisa assumir: frequentar as celebrações com a comunidade e, com a Palavra e os sacramentos, reavivar as energias para visitar os lares, as casas, os condomínios, os cárceres, os acampamentos e abrigos etc., para que Jesus entre nesses espaços e manifeste sua força.

Uma breve consideração ao evento da cura da sogra de Pedro (Mc 1,29-31) inspira nossas famílias para o exercício da missão testemunhar e anunciar a fé em Jesus Cristo:

  • na casa de Pedro, Jesus se torna próximo, busca encontrar a mulher em seu leito, na realidade em que ela está;

  • ao aproximar-se, Jesus segura-a pela mão; ensinando para nós o valor do gesto, do afeto que passa pelo toque, pelo abraço; a fé se comunica também pelos sentidos.

  • Jesus ajuda a mulher a ficar de pé, porque na condição de enferma, dependia da ajuda de outras pessoas, agora ela mesma toma sua vida nas mãos, torna-se protagonista de sua história;

  • a mulher dá sinal de sua cura por meio do serviço, sendo sinal de que a compaixão que recebera de Jesus lhe dá condições para espalhar a esperança na vida que vem pela fé.

Deste pequeno relato bíblico podemos aprender que as famílias são espaço para a fé ser transmitida, a compaixão ser praticada e a esperança ser sustentada com os gestos de cura, de valorização de cada pessoa.

Ser missionário(a) da compaixão da esperança é compreender que “Jesus prefere as casas, prefere o encontro com povo nos caminhos. Ali, todas as pessoas têm acesso ao encontro com Deus”.[2]

A família vive de compaixão e de esperança 

A família é lugar de refúgio, de restauração e de celebração da vida. Na família é possível aprender a necessidade das relações saudáveis, da ternura nos gestos, das palavras de incentivo e de elogio. Também é na família que aprendemos a pedir desculpas, a dar o perdão sem rancor, a oferecer o abraço de reconciliação.

Por tudo isso é que a família o ambiente o destino primeiro da ação missionária da Igreja. Antes mesmo de chegar com doutrinas, é preciso oferecer para as famílias a alegria do encontro com a pessoa de Jesus Cristo que deseja nos encontrar, se aproxima de nossa condição e estende a mão para nos erguer.

A exemplo da sogra de Pedro, em nossas famílias precisamos cultivar a compaixão, para defender a dignidade das pessoas, apesar de seus erros e suas fraquezas. Compaixão é assumir com responsabilidade um caminho de conversão, investindo o tempo necessário, buscando a ajuda profissional de outras pessoas, apontando, assim, caminhos possíveis de mudança.

O exemplo de Pedro, que leva Jesus consigo para sua casa é símbolo de esperança para os nossos dias. O ambiente da casa é onde nasceu o novo jeito de viver que Jesus ensinava. A cada dia, precisamos imitar a atitude de Pedro e convidar que Jesus entre em nossas casas. Mais que isso, ter Jesus como companheiro para visitar os lares e as famílias, para oferecer a cura e a alegria.

Na Exortação Amoris Laetitia, o Papa Francisco ensina: “Toda a vida da família é um pastoreio misericordioso. Isto exige uma disponibilidade gratuita que permita apreciar a sua dignidade. Assim floresce a ternura, capaz de suscitar no outro a alegria de se sentir amado” (AL 322.323).[3]

É momento de esperançar nossas famílias. “Especialmente nestes tempos de pandemia, é importante aumentar a capacidade diária de alargar os nossos círculos. Viver a missão é aventurar-se no cultivo dos mesmos sentimentos de Cristo Jesus e, com Ele, acreditar que a pessoa ao meu lado é também meu irmão, minha irmã”.[4]

Neste mês de outubro, mês missionário e do rosário, sejamos corajosos para reunir nossa família e meditar os mistérios do santo rosário, alimentando a fé em família, oferecendo as orações por tantas pessoas que dedicam suas vidas no anúncio do reino de Deus.


Oração do mês missionário 2021:

Deus Pai, Filho e Espírito Santo, comunhão de amor, compaixão e missão. Nós te suplicamos: Derrama a luz da tua esperança sobre a humanidade que padece a solidão, a pobreza, a injustiça, agravadas pela pandemia.

Concede-nos a coragem para testemunhar, com ousadia profética e crendo que ninguém se salva sozinho, tudo o que vimos e ouvimos de Jesus Cristo, missionário do Pai.

Maria, mãe missionária, e São José, protetor da família, inspirem-nos a sermos missionários da compaixão e da esperança. Amém.

Ariél Philippi Machado é Catequista na Arquidiocese de Florianópolis (SC), membro da Rede Lumen de Catequese, Teólogo e Especialista em Catequese - Iniciação à Vida Cristã. 


[1] https://www.vatican.va/content/francesco/pt/messages/missions/documents/papa-francesco_20210106_giornata-missionaria2021.html

[2] https://cebi.org.br/biblia/marcos-129-39-a-cura-da-sogra-de-pedro-ildo-bohn-gass/

[3] https://www.vatican.va/content/francesco/pt/apost_exhortations/documents/papa-francesco_esortazione-ap_20160319_amoris-laetitia.html

[4] https://www.vatican.va/content/francesco/pt/messages/missions/documents/papa-francesco_20210106_giornata-missionaria2021.html

Nossa família em missão: Igreja doméstica vivendo a compaixão e a esperança
Micheli Ferreira
4 outubro, 2021
Compartilhar
Arquivo
Entrar deixar um comentário

Whatsapp Paróquias

Olá, bem-vindo(a) a Revista Paróquias! Escolha um dos nossos atendentes. Mensagens fora do horário marcado serão respondidas quando retornar.